Rouquidão prolongada: como pode estar associada a outras doenças?

Atualizado: 10 de Out de 2018


Ficar rouco por conta de um resfriado, por falar demais ou depois de acompanhar um show de música ou jogo de futebol é uma situação normal e passageira. O problema merece atenção no caso de rouquidão prolongada, pois pode estar associado a algumas doenças e exige tratamento especializado.


A voz “áspera” ou disfonia pode indicar que algo não vai bem na laringe, em que estão as pregas ou cordas vocais. A condição pode ser apenas um cansaço da fala, no entanto, mesmo nesses casos, é fundamental a consulta com o otorrinolaringologista para que seja feito o diagnóstico adequado.


Acompanhe nosso post e entenda o que é a rouquidão prolongada, suas causas, sintomas e quais doenças podem estar por trás desse quadro.


O que é rouquidão prolongada?


A rouquidão prolongada é uma condição na qual a voz rouca dura mais de 15 dias. Muita gente não dá importância, mas uma alteração pode indicar que algo não vai bem no organismo. Desse modo, se ela mudou de tom, merece atenção.


É importante entender todo o processo que permite a produção da voz: o ar que vem dos pulmões provoca a vibração das cordas vocais  e, com o auxílio da faringe, boca e nariz, produzimos o som. Geralmente, o problema da rouquidão indica algum problema nas cordas vocais.


Quais os principais sintomas?


Além da mudança no tom da voz, que fica mais áspera por vários dias, a rouquidão prolongada deve ser um sinal de alerta, principalmente se vier acompanhada de outros sintomas, como:

  • dor na garganta;

  • dor para engolir;

  • pigarro constante;

  • perda da voz;

  • tosse que não passa;

  • tosse com sangue;

  • dificuldade para respirar;

  • sensação de engasgo;

  • sensação de “bolo” na garganta.


Quais as causas desse problema?


Na maioria dos casos, a rouquidão ocorre devido a infecções das vias aéreas superiores (nariz, laringe e faringe), como resfriados, gripes, alergias, infecções virais ou bacterianas. São problemas que provocam congestão nasal e irritação na garganta, por isso, deixam a voz rouca.


Outra causa para a rouquidão pode ser o estresse, causando aumento da tensão muscular nas cordas vocais. No entanto, nesses casos, a voz rouca é passageira.


A rouquidão prolongada pode acometer quem utiliza a voz como instrumento de trabalho, como professores, palestrantes, vendedores, operadores de telemarketing, cantores e atores, que acabam fazendo o mau uso desse recurso — o que pode provocar calo nas cordas vocais. Nessas situações, após o diagnóstico com o otorrino, pode ser recomendado repouso da fala e fonoterapia.


Por fim, os fumantes e pessoas que fazem uso excessivo de álcool também estão mais propensos a sofrer com a rouquidão persistente, pois podem ficar com as vias aéreas irritadas.Além de aumentar o riscos de lesões malignas nessa região.


Quais doenças podem estar associadas a esse quadro?


A rouquidão prolongada precisa ser investigada pelo otorrinolaringologista, pois pode ser indício de algumas doenças. Confira a seguir:


Refluxo faringo-laríngeo


É um problema causado pela volta dos ácidos da digestão para a faringe (garganta) e laringe, causando uma lesão nas mucosas. Esse quadro pode provocar, além da rouquidão, secura e queimação na garganta, tosse persistente e pigarro.


O otorrino vai investigar esse refluxo por meio de exames, como a videolaringoscopia, para observar alterações na laringe e faringe. Além desse especialista, é importante que o paciente procure também um médico gastroenterologista para avaliar esôfago e estômago.


O tratamento pode incluir medicamentos para reduzir a acidez estomacal e reeducação alimentar.


Papiloma de laringe


Essa doença é provocada pelo HPV (vírus papiloma humano), que causa tumores benignos na laringe — lesões em formato de verrugas. Pode acometer crianças e adultos e, além da rouquidão, o paciente pode ter dificuldades para respirar. É uma doença que pode ser recorrente.


Para o seu diagnóstico, o médico realiza o exame de videolaringoscopia para observar as estruturas das laringes e lesões. O tratamento é feito com medicamentos e cirurgia.


Câncer de laringe 


Lesões nas cordas vocais, refluxo faringo-laríngeo, papiloma de laringe e até o cigarro e a ingestão excessiva de álcool são fatores que podem aumentar o risco de  câncer de laringe. Por isso que a rouquidão deve ser um sinal de alerta, visto que, quando diagnosticado no início, esse tipo de tumor tem altas chances de cura.


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer José de Alencar Gomes Silva (INCA), o câncer de laringe é mais comuns em homens e representa cerca de um quarto dos tumores malignos da região da cabeça e pescoço.


Outros sintomas da doença são: dor de garganta, dificuldade para engolir, sensação de “bolo” na garganta, tosse persistente e nódulo no pescoço.


O otorrino examina a laringe com exames como a videolaringoscopia e solicita uma biópsia para fechar o diagnóstico. O tratamento é feito com radioterapia, quimioterapia e/ou cirurgia.


Paralisia das cordas vocais


A paralisia é caracterizada pela incapacidade dos músculos que fazem o controle das cordas vocais se movimentarem. Pode atingir uma ou as duas cordas vocais. Além da voz rouca, o paciente pode ter dificuldade para respirar e engolir.


Entre as causas dessa doença estão lesão cerebral ou no nervo da laringe. O tratamento é cirúrgico.


Como cuidar da voz?


Para não sofrer com problemas como a rouquidão, pigarro ou dor de garganta, existem algumas medidas preventivas para garantir a saúde da voz, como:

  • beber bastante água — pelo menos 2 litros por dia;

  • evitar ambientes com ar-condicionado;

  • ficar longe da poluição e poeira;

  • evitar gritar ou sussurrar;

  • não falar em locais muito barulhentos;

  • evitar alimentos muito quentes ou gelados;

  • evitar choques de temperatura quando mudar de ambiente;

  • evitar álcool e cigarro.


Além desses cuidados, é importante sempre consultar o otorrino, principalmente os profissionais que usam a voz como instrumento de trabalho — que devem realizar essas consultas preventivas duas vezes ao ano.


A rouquidão prolongada, ou seja, que dura mais de 15 dias, deve ser investigada com urgência, pois pode indicar outras doenças. Fique atento a sua voz e, em caso de alterações, procure o otorrinolaringologista.


A Clínica Otorrino DF tem profissionais capacitados para tal diagnóstico, agende sua consulta!

0 visualização

 ASA SUL 

Endereço:

709/909. Centro Médico Julio Adnet - SEPS SEP Sul, Sia Lt A - Clínica 2, Subsolo - CEP: 70390-095

Navegue Até Nós

#maps_padrão_1.png
waze_02.png
Uber_100x100.png

 ASA NORTE 

Endereço:

Ed. Cléo Octávio - Em frente HRAN. Setor Médico Hospitalar Norte - CEP: 70710-100

Navegue Até Nós

#maps_padrão_1.png
waze_02.png
Uber_100x100.png

 TAGUATINGA 

Endereço:

Ed. Pátio Capital QS 3. - Pistão Sul. / Térreo
CEP: 71953-000

Navegue Até Nós

#maps_padrão_1.png
waze_02.png
Uber_100x100.png

Sobre a Otorrino DF

Consultas médicas, exames e cirurgias para pacientes com necessidades relacionadas ao ouvido, nariz e garganta.
Será um prazer receber você aqui em nossa clínica! 

Nossos Médicos

Os profissionais da clínica Otorrino DF buscam atualizações constantes em suas especialidades visando oferecer atendimento personalizado e humanizado a seus pacientes.

  • Instagram - Otorrino DF
  • YouTube - Otorrino DF
  • LinkedIn - Otorrino DF
  • Facebook - Otorrino DF
  • Twitter OtorrinoDF
bg otorrino pediatra df emergencia criança otorrinolaringologia asa sul asa norte brasilia distrito federal lago sul lago norte urgente ouvido nariz garganta adulto
nariz otorrino pediatra df emergencia criança otorrinolaringologia asa sul asa norte brasilia distrito federal lago sul lago norte urgente ouvido nariz garganta adulto
Clínica Otorrino DF © Todos os direitos Reservados