Dificuldade de fala e mastigação, ainda na infância são características de Língua Presa.


Anquiloglossia, popularmente conhecida como “língua presa”, não tem causa exata conhecida, mas costuma ser hereditária em algumas famílias.

Acontece quando a pessoa nasce com o frênulo lingual – pequena membrana que fica abaixo da língua, mais conhecida como freio, menor do que o normal ou inexistente, impedindo o órgão de se movimentar livremente. Podendo gerar consequências à fala, mastigação, deglutição, respiração e desenvolvimento correto da dentição.

Ainda na maternidade, pode ser realizado o exame chamado “teste da linguinha”, para detectar alterações no frênulo lingual. Se o exame não for realizado após o nascimento, pode ser feito posteriormente na consulta com o pediatra, otorrinolaringologista ou fonoaudiólogo.

Em alguns casos, um freio anormal entre os 2 e os 4 anos, pode evoluir naturalmente para uma situação normal aos 8 ou 9 anos, consequência do natural alongamento da língua.


Características de Língua Presa nas diferentes faixas etárias

Nos recém – nascidos

Quando bebê, as dificuldades decorrentes da língua presa, podem aparecer no ato da amamentação, pois a criança pode não conseguir fazer a sucção e assim, ter dificuldades na retirada do leite. Por isso, mães que sofrem com dores ou possuem problemas ao amamentar devem ter suas crianças avaliadas quanto a Anquiloglossia.

Por volta dos 6 meses até a fase infantil

Podem ocorrer problemas durante o surgimento dos dentes, ocasionando problemas mastigatórios no futuro. Conforme o crescimento da criança, o desenvolvimento da fala também pode ser prejudicado, especialmente na articulação de sons e na pronúncia das letras “l” e “r”, além de outros fonemas. Nesses casos, a avaliação médica por um otorrinolaringologista, fonoaudiólogo ou pediatra é recomendada.

Alterações no formato da língua, como a ponta da língua em formato de coração ou “V” invertido, também podem ser observadas. Além da inabilidade de colocar a língua acima dos lábios superiores, incapacidade de tocar o céu da boca com a língua e dificuldade de mover a língua de um lado para o outro.

Também é importante prestar atenção à formação dentária em crianças mais velhas, já que a língua presa pode ocasionar um espaçamento entre os dentes inferiores da frente.


Quando um problema de língua presa precisa de cirurgia?

Se o bebê com menos de um ano de idade, com a alteração no frênulo lingual, apresenta dificuldade de ganho de peso devido à dificuldade de sucção no peito da mãe, podendo levar ao desmame precoce e muitas dores no mamilo materno, durante a amamentação, a recomendação é corrigir o problema quanto antes, com a cirurgia.

Se a criança se desenvolve com a língua presa, pode haver alterações na linguagem oral e na mastigação e, consequentemente, uma alteração no crescimento facial no decorrer de sua vida.


Existe tratamento para língua presa?

Em alguns casos é possível tratar os problemas de fala decorrentes, da língua presa, com a ajuda de um fonoaudiólogo.

O tratamento tem melhores resultados quando realizados ainda na infância. Quanto mais cedo, mais rápido o paciente consegue falar com normalidade. O tratamento também pode ser feito durante a vida adulta, mas a reversão costuma ser um pouco mais demorada.


Como é a cirurgia para reverter a língua presa?

Os procedimentos cirúrgicos mais comuns para reverter a língua presa são a frenectomia (remoção do frênulo lingual) e a frenotomia (pequeno corte e separação do frênulo lingual). Os dois podem ser realizados com anestesia local e geralmente são feitos em ambulatório e conduzido por um médico ou cirurgião dentista.

Ambos são indicados para pacientes de qualquer idade e o tempo médio de recuperação é de um dia.

2,984 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo