Cirurgia de amígdalas: o que você precisa saber sobre o procedimento


As amígdalas, também chamadas de tonsilas, são duas zonas de tecido linfoide localizadas em ambos os lados do fundo da garganta, ao lado da úvula (campainha). Atualmente, sabe-se que essas estruturas ajudam o organismo a combater infecções.


Isso porque, no tecido linfoide, há reconhecimento de micro-organismos, como bactérias e vírus, que penetram na cavidade oral, o que ajuda o sistema imunológico a produzir anticorpos e ter uma resposta mais rápida.


Há algumas décadas, extrair as amígdalas era muito comum, visto que a produção de anticorpos é mais exuberante na infância e decai até os 3 anos de idade. Hoje, os médicos preferem evitar o procedimento, mas existem algumas situações em que é preciso realizar a cirurgia de amígdalas para ter qualidade de vida.

Saiba, neste post, o que é a amigdalectomia, como a cirurgia é feita, quando ela é indicada e quais são os cuidados necessários no pré e pós-operatório. Acompanhe!


Se as amígdalas nos protegem, por que algumas pessoas têm que retirá-las?


As amígdalas são a primeira linha de defesa do corpo, afinal, a maioria dos micro-organismos que causam doenças entra pela boca ou pelo nariz. Durante a resposta imunológica, o próprio tecido pode se contaminar, seja por vírus, seja por bactérias, seja por fungos, causando a amigdalite ou inflamação das amígdalas. Esse quadro pode acometer tanto adultos quanto crianças, mas a doença é mais comum na infância e na adolescência.


Em algumas pessoas, a amigdalite é de repetição, ou seja, acontecem vários episódios de dor de garganta durante o ano. Acredita-se que, devido às inflamações recorrentes, as amígdalas perdem o seu potencial de defesa, tornando-se um ambiente favorável para a multiplicação de patógenos. Além disso, é comum que, na fase adulta, a proteção desse tecido não seja mais importante para o sistema imune.


Com o tratamento, os sintomas cessam por algumas semanas, mas os agressores retornam e a pessoa pode adoecer novamente. É por esse motivo que indivíduos com mais de 5-6 quadros de amigdalite em 1 ano ou mais de 3  quadros em 6 meses ou quando presença abscessos isolados e recorrentes são candidatos à cirurgia de retirada das amígdalas.


Quais são as outras indicações para a cirurgia de amígdala?


Em alguns casos, o crescimento das amígdalas é tão exagerado que a pessoa apresenta dificuldade para respirar e para engolir, sendo uma indicação.


Além disso, durante o sono, há um estreitamento da faringe, que somada à grande dimensão das amígdalas hipertrofiadas, provoca a apneia obstrutiva do sono, quadro em que há interrupção da respiração durante a noite e roncos frequentes. Esse processo fragmenta o sono e pode trazer prejuízos à memória, ao crescimento, ao aprendizado e ao comportamento, principalmente da criança. Assim, recomenda-se a cirurgia.


Na idade adulta, uma indicação mais comum é o mau hálito causado pelas amígdalas caseosas. Nesse quadro, o tecido linfoide não é alvo de infecções, mas acumula uma secreção branca em sua superfície chamada cáseo amigdalino, que pode ser confundido com pus e exala um cheiro desagradável.


Essa situação é benigna e acontece devido à digestão de detritos da orofaringe pelas amígdalas. Além da halitose ou mau hálito, a secreção pode causar a sensação de corpo estranho ou desconforto na cavidade oral. Sendo assim, também é uma indicação de cirurgia.


Não há faixa etária correta para a realização da cirurgia, mas acredita-se que seja melhor realizá-la após os dois anos, visto que, até essa idade, as amígdalas ainda têm um papel importante na imunidade.


O que é a amigdalectomia e como ela é feita?


Amigdalectomia é o termo médico para a cirurgia de remoção das amígdalas. Esse processo pode ser feito em conjunto com a extração das adenoides, tecidos linfoides que também podem se hipertrofiar e prejudicar a respiração. No entanto, é preciso que a pessoa consulte um médico de confiança para que ambas as cirurgias sejam bem indicadas. Em alguns casos, somente a cirurgia de amígdalas pode resolver o problema.


A retirada das amígdalas é um procedimento relativamente simples e que dura cerca de 30 minutos a 1 hora. No entanto, ele deve ser feito em ambiente hospitalar e com anestesia geral.


O médico otorrinolaringologista, especialista em garganta, retira o tecido pela boca. A extração pode ser feita com a técnica convencional, em que um bisturi é usado para dissecar as amígdalas, ou por meio de laser. Na cirurgia convencional, retira-se toda a amígdala, o que deixa a musculatura da garganta exposta. Já a cirurgia a laser reduz as amígdalas até a sua base, o que não expõe os músculos, tornando a recuperação menos dolorosa.


No entanto, como o tecido não é retirado por inteiro, o paciente pode precisar refazer a cirurgia, caso apresente novamente dores de garganta. Sendo assim, o modo convencional ainda é o mais realizado. O tipo de cirurgia é pessoal e depende do quadro, desse modo, é essencial confiar na indicação do cirurgião.


Como são o pré-operatório e o pós-operatório?


O pré-operatório costuma ser bem simples, visto que a cirurgia de retirada de amígdalas não oferece muitos riscos. É importante que o paciente realize os exames solicitados pelo médico para verificar seu estado de saúde e que cumpra o período de jejum indicado.


O pós-operatório é mais fácil para crianças do que para os adultos. Normalmente, os pequenos retomam a alimentação mais rapidamente e sentem dor por menos dias. Sendo assim, o tempo de recuperação para as crianças fica em torno de 10 dias, enquanto para os adultos pode durar até 20 dias.


Nos primeiros dias, é indicado que o paciente consuma somente alimentos líquidos ao natural ou gelados, como caldos e sucos de frutas. É comum que haja um pouco de sangue na saliva, mas, caso ocorra sangramento ativo, é preciso procurar o médico.


Quando a pessoa tolerar, pode-se inserir alimentos pastosos na dieta, que estejam em temperatura ambiente. Após o 7º dia, o paciente deve tentar retomar aos poucos a alimentação normal. No entanto, é imprescindível evitar comidas que possam ferir a garganta.


Durante o período de recuperação, forma-se uma placa branca no local da incisão que não deve ser confundida com pus. A fibrina (placa) é indicativa de cicatrização e o paciente pode ter mau hálito nessa fase. Pode ocorrer otalgia reflexa, uma dor de ouvido que é frequente e não está associada a doenças.

É importante evitar exercícios físicos e esforços exuberantes por cerca de 1 mês e ter cuidado na hora de escovar os dentes. Os pontos da cirurgia caem por conta própria, não sendo necessário retirá-los em consultório. Por fim, deve-se seguir estritamente todas as recomendações do médico.


Apesar de ser um procedimento relativamente simples, a cirurgia de amígdalas oferece alguns riscos, assim como toda operação. É por esse motivo que deve-se procurar um especialista na região a ser operada, afinal, esse médico conhece todas as estruturas e estará apto para lidar com possíveis complicações.


Nesse caso, o profissional de escolha é o otorrino, médico especialista em ouvido, nariz e garganta. Entre em contato com a Otorrino DF e agende uma consulta com um otorrinolaringologista para resolver o seu problema!  Contato (61) 3542-2803.

856 visualizações

 ASA SUL 

Endereço:

709/909. Centro Médico Julio Adnet - SEPS SEP Sul, Sia Lt A - Clínica 2, Subsolo - CEP: 70390-095

Navegue Até Nós

#maps_padrão_1.png
waze_02.png
Uber_100x100.png

 ASA NORTE 

Endereço:

Ed. Cléo Octávio - Em frente HRAN. Setor Médico Hospitalar Norte - CEP: 70710-100

Navegue Até Nós

#maps_padrão_1.png
waze_02.png
Uber_100x100.png

 TAGUATINGA 

Endereço:

Ed. Pátio Capital QS 3. - Pistão Sul. / Térreo
CEP: 71953-000

Navegue Até Nós

#maps_padrão_1.png
waze_02.png
Uber_100x100.png

Sobre a Otorrino DF

Consultas médicas, exames e cirurgias para pacientes com necessidades relacionadas ao ouvido, nariz e garganta.
Será um prazer receber você aqui em nossa clínica! 

Nossos Médicos

Os profissionais da clínica Otorrino DF buscam atualizações constantes em suas especialidades visando oferecer atendimento personalizado e humanizado a seus pacientes.

  • Instagram - Otorrino DF
  • YouTube - Otorrino DF
  • LinkedIn - Otorrino DF
  • Facebook - Otorrino DF
  • Twitter OtorrinoDF
bg otorrino pediatra df emergencia criança otorrinolaringologia asa sul asa norte brasilia distrito federal lago sul lago norte urgente ouvido nariz garganta adulto
nariz otorrino pediatra df emergencia criança otorrinolaringologia asa sul asa norte brasilia distrito federal lago sul lago norte urgente ouvido nariz garganta adulto
Clínica Otorrino DF © Todos os direitos Reservados