BERA/PEATE com sedação

Atualizado: 5 de Nov de 2020

O desenvolvimento auditivo infantil contribui diretamente para o aprendizado e uso da fala e da linguagem. A avaliação precoce de possíveis alterações na audição são essenciais para que o desenvolvimento saudável não seja comprometido, gerando consequências de natureza emocional, social e psicomotora.


E quais os indicadores de risco para deficiência auditiva (IRDA)em bebês?

⠀⠀

  • Icterícia

  • Nascimento prematuro

  • Apgar com escore baixo

  • Baixo peso no nascimento

  • Internação em UTI neonatal

  • Hipoxia (falta de oxigenação) no parto

  • Utilização de medicamentos ototóxicos

  • Infecções maternas durante o pré-natal (sífilis, rubéola, entre outros)


DIAGNÓSTICO DAS VIAS AUDITIVAS:


O recém nascido deve ser submetido ao teste da orelhinha (triagem auditiva) e mesmo que tenha obtido resultado positivo, se ele se enquadra em algum desses fatores de risco, deve ser encaminhado ao otorrino para avaliação e acompanhamento.





O BERA/PEATE (Potencial Evocado Auditivo de Tronco Encefálico) é um teste indolor e não invasivo cujo propósito é avaliar a integridade da via auditiva o até o tronco encefálico - estruturas responsáveis para que o som chegue no cérebro. Faz parte do protocolo de diagnóstico recomendado pelo Comitê Multiprofissional de Saúde Auditiva (COMUSA), e permite identificar uma possível perda auditiva em maior ou menor grau.


Apesar de ser um exame objetivo, ou seja, não depende de uma resposta ativa do paciente, o BERA/PEATE é um exame muito sensível e que sofre diversas interferências que podem ser externas (elétrica por exemplo) ou internas (ex: contração muscular). Para evitar interferências internas, incômodos ou interrupções com bebês e crianças pequenas, o exame é geralmente realizado com o paciente dormindo, o que nem sempre é possível. A depender da situação, para garantir as condições ideias para a realização do BERA/PEATE é recomendado o uso de sedação.



COMO FUNCIONA?


A sedação é realizada por médico anestesista, em ambiente preparado com todo o mecanismo necessário de suporte à vida e constante monitoramento da sedação, que geralmente é feita através de gás inalatório. O exame é feito em centro cirúrgico, acompanhado pelo fonoaudiólogo audiologista, profissional responsável pela avaliação dos estímulos gerados durante o teste.


O audiologista é especialista no estudo da audição, seu equilíbrio e distúrbios relacionados; o dia 10 de outubro é o dia mundial reservado à apreciação e reconhecimento desses profissionais. A OtorrinoDF parabeniza todos os profissionais da área e agradece a dedicação de toda sua equipe de audiologistas!



1,317 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo